Grupo de Estudos de Arquitetura de Museus - ARQUIMUSEUS

Grupo de Estudos de Arquitetura de Museus - ARQUIMUSEUS

Teses de Doutoramento em Museologia defendidas e aprovadas na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias entre 1º e 8 de Fevereiro de 2012 em Lisboa, Portugal.

Tese A Coleção Natterer: objetos indígenas brasileiros
Candidata Analucia Thompson
Orientadoras Professoras Doutoras Judite Primo e Myrian Sepúlveda dos Santos
Resumo Esta tese tem como objetivo principal investigar a constituição do acervo de objetos etnográficos, realizada pela Missão Austríaca, cujos integrantes percorreram grande parte do território brasileiro, entre 1817 e 1835, e coletaram os objetos da denominada ColeçãoNatterer, que hoje se encontra no Museu de Etnologia de Viena. Pretendemos, neste trabalho, empreender uma análise reflexiva no campo da Sociomuseologia, cujo objetivo é conhecer a história dessa coleção, para, então, discutir seus possíveis usos. Partimos da abordagem dos diversos significados atribuídos aos artefatos indígenas no processo de constituição dos museus modernos, associando-os à trajetória da formação do Museu de Etnologia de Viena. Analisamos, então, a Missão Austríaca, não só com o objetivo de desvendar o contexto econômico, social, político, institucional, ideológico, no qual ocorreu o colecionamento, mas também os sentidos atribuídos a esse evento na literatura brasileira sobre os viajantes e a rede de relações sociais estabelecidas nesse processo. Empreendemos, então, o estudo dos objetos culturais que compõem a coleção, caracterizando a arena política em que foram forjadas as condições para sua formação e o contexto histórico em que as etnias detentoras desses objetos estavam inseridas. Por fim, discutimos as possibilidades de usos para essa coleção, a partir das experiências já desenvolvidas com coleções etnográficas, especificamente, as vivenciadas pelo Museu das Culturas Dom Bosco.
Júri Professor Doutor Mário Moutinho, Presidente do Júri. Professora Doutora Judite Primo e Professora Doutora Myrian Sepúlveda dos Santos, Orientadoras.
Arguente Externo Professor Doutor Pedro Leite
Arguente Interno Professor Doutor Marcelo Cunha
Vogais Professoras Doutoras Cristina Bruno e Graça Teixeira; e Professor Doutor Diogo Mateus

 

Tese Modernização em Museus. Museu Histórico Nacional e Museu Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro, Brasil)
Candidata CêçaGuimaraens (Mª da Conceição Alves de Guimaraens)
Orientador Professor Doutor Mário Caneva Moutinho
Resumo A Tese verifica as ações da modernização de edifícios de museus do Centro do Rio de Janeiro, Brasil, observando as exigências contemporâneas de uso e de conservação das características formais identitárias. Configura-se a hipótese de que a proteção da ambiência arquitetônica e urbanística histórica é fator que contribuiu para o desenvolvimento e eficácia das atividades museológicas. Nesse contexto de exceção, os edifícios de museus de núcleos históricos são objetos de interesse, pois, além de identificar os usos e vocações pretéritas, estas construções contêm elementos formais e ambientais característicos das diferentes fases de constituição das cidades. As transformações dos principais espaços exteriores e interiores dos museus Histórico Nacional e Nacional de Belas Artes são estudadas com base em quadro referencial que articula as teorias patrimoniais, os fundamentos da Museologia Social e os temas de projeto de Arquitetura de Museus. As condições e resultados da modernização desses espaços museológicos estão verificadas e comparadas face aos conceitos da Museologia Social e à eficácia das prescrições preservacionistas inscritas em documentos emitidos em reuniões de organismos internacionais.
Júri Professor Doutor Pedro Cardoso, Presidente do Júri; Professor Doutor Mário Caneva Moutinho, Orientador.
Arguente Externo Professor Doutor Marcelo Araújo
Arguente Interno Professor Doutor João Sequeira
Vogais Professora Doutora Cristina Bruno; e Professores Doutores Marcelo Cunha e Pedro Leite

 

Tese Gestão de Museus e o Desafio do Método na Diversidade: Diagnóstico museológico e planejamento
Candidata Manuelina Maria Duarte Cândido
Orientadora Professora Doutora Judite Santos Primo
Resumo Este trabalho, desenvolvido na Linha de Investigação Museologia, SSME, Qualidade e Avaliação em Museus, do doutoramento em Museologia da ULHT, tem como objeto a gestão museológica e, entre seus instrumentos, o diagnóstico museológico. Recorrendo a uma reflexão sobre gestão de museus de uma maneira mais ampla, e mais detidamente sobre a qualificação das instituições e processos museológicos a partir de procedimentos de avaliação e planejamento, a tese defende a necessidade de realização de uma avaliação institucional global à qual chamaremos de diagnóstico museológico. Trazemos a discussão sobre possibilidades e limites para a adoção de princípios comuns à gestão de museus que não desconsiderem sua extrema e rica diversidade.
Júri Professor Doutor Mário Moutinho, Presidente. Professora Doutora Judite Santos Primo, Orientadora.
Arguente Externo Professor Doutor Marcelo Araújo
Arguente Interno Professora Doutora Graça Teixeira
Vogais Professora Doutora Cristina Bruno; e Professores Doutores Marcelo Cunha, Pedro Cardoso e Diogo Mateus

 

Tese Musealização em Projectos de Arqueologia Consultiva: Perspectivas Patrimoniais para a Estrada de Ferro Carajás (MA/PA)
Candidata Maria do Carmo Mattos Monteiro dos Santos
Orientadora Professora Doutora Cristina Bruno
Resumo Discute-se o tema da musealização das pesquisas arqueológicas desenvolvidas no bojo do licenciamento ambiental de projetos desenvolvimentistas, em realização no Brasil. A pesquisa arqueológica realizada no âmbito desses projetos, aqui denominada Arqueologia Consultiva, apresenta diversas facetas; entretanto, as reflexões desta investigação estão centradas no “problema patrimonial” gerado por estas pesquisas, pois se verifica que, mesmo quando bem equacionadas as questões relativas à pesquisa arqueológica, pouco se propõe para administrar os acervos gerados, para a divulgação dos resultados [principalmente para a comunidade diretamente envolvida] – questões estas que estariam no escopo dos processos de musealização-, o que evidencia um campo de tensões entre a Arqueologia Consultiva e a preservação patrimonial. Destacam-se a compreensão do papel que a Museologia pode desempenhar nas interfaces entre patrimônio– sociedade – desenvolvimento, e a perspectiva interdisciplinar da aplicação desses princípios em novos processos de musealização. Assim, parte-se da hipótese de que os processos museológicos têm potencialidades para sustentar as interlocuções entre a Arqueologia consultiva e a Sociedade, garantindo estratégias de extroversão do conhecimento e educação para o patrimônio. Considerando os pressupostos da Sociomuseologia, pretende-se discutir a problemática da musealização colocada pelas pesquisas arqueológicas desenvolvidas na região percorrida pela Estrada de Ferro Carajás, situada na Amazônia Oriental brasileira.
Júri Professor Doutor Mário Moutinho, Presidente. Professora Doutora Cristina Bruno, Orientadora.
Arguente Externo Professor Doutor Marcelo Araújo
Arguente Interno Professor Doutor Marcelo Cunha
Vogais Professoras Doutoras Judite Primo e Graça Teixeira; e Professor Doutor Pedro Cardoso.

 

Tese Musealização do PatrimônioArquitetônico: inclusão social, identidade e cidadania. Museu Vivo da memória Candanga
Candidata Maria Cecília Filgueiras Lima Gabriele
Orientadora Professor Doutor Diogo Mateus
Resumo Esta tese tem por finalidade estudar o PatrimônioArquitetônico, reconhecido e tombado pelos órgãos do Estado e que abriga uma entidade museológica, como acervo deste museu, de acordo com os princípios da Sociomuseologia. Algumas vezes a arquitetura pode ser considerada como um acervo que abriga outro acervo. Vista mesmo quando não se decide a entrar no museu, a arquitetura trabalhada enquanto objeto museológico pode servir para comunicar uma época, seus símbolos, as relações sociais que possibilitaram sua edificação e suas técnicas construtivas, fazendo ressurgir a história e, com ela, elementos que podem ativar os laços de pertencimento de uma comunidade com o seu patrimônio construído. Com o objetivo de estudar a aplicação prática da hipótese e posteriormente identificar pontos que podem ser utilizados na musealização do PatrimônioArquitetônico de outros museus que ocupam edificações tombadas, ao longo da pesquisa desenvolveu-se um Projeto de Musealização do Acervo Arquitetônico para o Museu Vivo da Memória Candanga. A tese finda por realçar as características da arquitetura como potencial objeto museal, capaz de agir em processos museológicos, com vistas à inclusão social, reconhecimentos de identidade e práticas relacionadas à cidadania e educação para o património.
Júri Professora Doutora Judite Primo, Presidente. Professor Doutor Diogo Mateus, Orientador.
Arguente Externo Professor Doutor Pedro Leite
Arguente Interno Professor Doutor Marcelo Cunha.
Vogais Professora Doutora Graça Teixeira; Professores Doutores Marcelo Araújo e Pedro Cardoso.