7º Seminário Museologia e Arquitetura de Museus – Tecnologia e Descolonização

O Grupo de Estudos de Arquitetura de Museus do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura – Proarq, da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, convida professores, estudantes de pós-graduação, pesquisadores e profissionais da Arquitetura, Museologia e Patrimônio a participarem do 7º Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus: Tecnologia e Descolonização que será realizado entre 18 de outubro e 12 de novembro de 2021 em Lisboa, Madrid, Recife, Petrópolis e Rio de Janeiro. Em tempos de pandemia, ao considerar também os objetivos acadêmicos, a realização segura e contínua das ações de ensino, pesquisa e extensão em níveis de graduação e pós-graduação, indica o desenvolvimento do Seminário por meio de palestras, mesas-redondas, oficinas e sessões de comunicação em formato on line e, quando possível, presencialmente.

O 7º Seminário Museografia e Arquitetura de Museus celebra duas décadas de atividades destinadas à produção e difusão do conhecimento que entrelaça Arquitetura, Museologia e Patrimônio. Neste ano de 2021 a sétima edição do seminário será realizada com a parceria e o apoio da Escola Técnica Superior de Arquitetura de Madrid – ETSAM da Universidade Politécnica de Madrid – UPM; Departamento de Museologia e Cátedra UNESCO da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – ULHT; Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa – FA/ULisboa; Departamento de Arquitetura e Urbanismo – DAU da Escola de Desenho Industrial – ESDI da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ; Observatório de Museus e Patrimônios – OBSERVAMUS do Departamento de Antropologia e Museologia – DAM, e Laboratório Urbanismo e Patrimônio Cultural – LUP do Programa de Pós graduação em Desenvolvimento Urbano – MDU da Universidade Federal de Pernambuco, UFPE; Grupo de Pesquisa Escrita da História em Museus – GPEHM do Museu Histórico Nacional – Ibram/MHN; Curso de Museologia e Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio do Museu de Astronomia e Ciências Afins MAST da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO; e o Laboratório de Pesquisa e Estudos para Conservação e Restauração de Esculturas – LaPECRE, da Escola de Belas Artes da UFRJ.

O encontro abordará as expressões históricas e contemporâneas da aplicação de técnicas articuladas aos processos de inclusão social. Considera-se, portanto, que museus e centros culturais são voltados para produção de novos conhecimentos e novas interpretações das diversidades coletivas e individuais tão presentes nas cidades contemporâneas. Desse modo, as apresentações e discussões de trabalhos sobre objetos, edifícios e lugares simbólicos que são “suportes” de ideias, projetos, exposições e acontecimentos ampliarão a perspectiva museológica e identitária.

Ao envolver, em múltiplas dimensões, Arquitetura, Museologia, História, Arte, e Conservação patrimonial, o seminário abordará conceitos, temáticas, personagens, obras e projetos que abrangem desde as ideias e movimentos fundadores até as principais temáticas da contemporaneidade. Em virtude do ideário que “desloca” os valores das diferentes e históricas realidades sociais, pretende-se que, na singularidade de cada pensamento e experiência, os debates possibilitem o conhecimento da aplicação de conceitos, técnicas e estratégias voltadas à difusão de processos e registros artísticos e comunicacionais que transformaram e transformam as sociedades modernas.

Oficinas

Educação patrimonial – Professora Maria das Graças Ferreira, UERJ. 

Técnicas construtivas e conservação curativa – Arquiteto Antônio Carlos Martins, MAST. 

Eixos temáticos

Do ponto de vista das perspectivas transdisciplinares, a abrangência da Cultura faz com que o 7º Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus: Tecnologia e Descolonização destaque a Arquitetura e a Museologia, agregando a função social do Patrimônio. Nesse sentido, os trabalhos e debates sobre os diversos aspectos das origens, planos e projetos, da mesma forma que sobre o gerenciamento, criação e promoção de ações museológicas e museográficas, deverão articular os objetivos técnicos, políticos e sociais da preservação das cidades e das coisas patrimoniais de origem e natureza diversificada.

As apresentações e debates envolverão as expressões da Memória e da História no que diz respeito aos processos de descolonização e às inovações tecnológicas em espaços de Cultura. Os trabalhos abrangerão os entrelaçamentos temáticos da arquitetura de museus e centros culturais, das exposições e públicos, da conservação e requalificação urbana e edilícia, e da mudança e adequação de uso dos lugares e edifícios com significância cultural. Agregam-se a esses conteúdos as formas tradicionais e contemporâneas de viver em sociedade que são sensíveis às transformações técnicas e artísticas, na medida em que estas categorias reforçam a igualdade social e a diversidade identitária.

Os eixos temáticos a seguir sugerem as linhas para os trabalhos a serem apresentados.

Narrativas e Comunicação

O Patrimônio nos meios de Comunicação e na web; os processos expositivos e a constituição de redes de pesquisadores em diferentes escalas; as escritas da história da arquitetura de museus; as práticas hegemônicas e alternativas e o plano museológico; os projetos de arquitetura e as dinâmicas históricas; a cidade-museu, os museus tradicionais e o museu integral.

Identidade e Reconhecimento

A ampliação de conceitos e alargamento de significados; os discursos e as diferenças; curadoria e metacuradoria; diálogos regionais e internacionais; as tensões entre os agentes culturais; a historicização de processos; as transformações historiográficas; os meios e a inclusão em exposições; os procedimentos e as formas de acessibilidade.

Interatividade e Inovação

Teorias e práticas transformadoras voltadas à conservação, preservação e restauração do patrimônio cultural; produção e conservação de acervos digitais; pesquisas, projetos, obras, novas tecnologias, legislação e educação patrimonial voltada a diferentes públicos; dinâmicas de reconhecimento e inclusão; as mídias e o desenvolvimento social.

Comissão Científica

  • Ibram
    Aline Montenegro Magalhães
    Rafael Zamorano
  • Iphan
    Analucia Thompson
  • UERJ
    Maria das Graças Ferreira
  • UFF
    Guilherme Araújo de Figueiredo
    Leonardo Mesentier
  • UFG
    Camila de Moraes Wichers
    Universidade de Liège
    Manuelina Duarte Cândido
  • UFRJ
    Cêça Guimaraens
    Benvinda Ribeiro
    Virgínia Vasconcellos
  • UFPE
    Antônio Motta
    Natália Vieira
    Virginia Pontual
  • ULisboa
    Ana Vaz Milheiro
  • ULHT
    Judite Santos Primo
  • UniRio
    Ivan Coelho de Sá
  • Mast
    Marcus Granato
  • UPM – ETSAM
    Ana Esteban Maluenda
    Daniel Diez Martinez
  • Universidade Santa Úrsula
    Hilton Esteves de Berredo

Comissão Organizadora

Professoras Doutoras Cêça Guimaraens, Virginia Pontual, Ana Esteban Maluenda, Aline Montenegro Magalhães e Maria das Graças Ferreira, coordenadoras.

Pesquisadores colaboradores: Ana Vaz Milheiro, Antônio Carlos Martins, Daniel Diez Martinez, Diego Dias, Isabel Ribeiro, Isabela Duarte Dutra, Ivo Almico e Renato Alves.

Calendário

  • 27 de fevereiro de 2021 – lançamento da Chamada de Trabalhos e abertura de inscrições;
  • 30 de junho de 2021 – data limite para envio dos trabalhos completos;
  • 30 de julho de 2021 – data limite para o aceite dos trabalhos com os pareceres dos avaliadores;
  • 10 de agosto de 2021 – data limite para o aceite definitivo dos trabalhos;
  • 30 de agosto de 2021 – data limite para realização da inscrição com o envio do comprovante.

Tendo em vista que o formato do 7º Seminário será híbrido (online e presencial), os trabalhos aceitos poderão ser apresentados no Recife ou Madrid ou Lisboa ou Petrópolis ou Rio de Janeiro.

Os textos devem ser enviados impreterivelmente até ao dia 30 de junho de 2021 para o e mail: seminarioarquimuseus2021@gmail.com

Formato dos artigos

a) Definições Gerais

  • O artigo completo deverá ser entregue para avaliação em arquivo.doc do programa Word 2010, em formato A4 com o máximo de 15 páginas e o mínimo de 10 páginas (incluindo notas e referências bibliográficas); e oito imagens no máximo (as figuras e quadros em resolução e dimensões compatíveis com a qualidade da publicação);
  • A primeira página (folha de rosto) deverá conter: o título do artigo, o(s) nome (s) e breves referências ou minicurrículo (s) do autor e coautores (es) com, no máximo, 5 linhas, onde deverão constar, obrigatoriamente, a formação, instituição e e-mail.
  • O artigo deverá ser escrito em português ou espanhol.
  • O resumo (abstract) deverá ser escrito com, no máximo, 150 palavras e em duas línguas. A primeira língua será a portuguesa ou a espanhola, e a segunda língua a inglesa ou a francesa.

b) Formatação do Artigo

  • Formato A4;
  • Alinhamento justificado;
  • Letra Calibri 11, cor preta;
  • Espaço antes e depois 6pt e entrelinhas 1,5, recuo de margens superior e inferior de 2 cm, direita e esquerda 2 cm, início do parágrafo a 1,5 cm;
  • O título deverá ser em negrito, Calibri 12, alinhado à direita;
  • Os subtítulos deverão ser em negrito, Calibri 11, justificados; e, preferencialmente, não enumerados;
  • As imagens devem ser enviadas em arquivos separados com as respectivas legendas. As imagens devem ser indicadas no texto ou inseridas centralizadas, e referenciadas de acordo com o texto e devidamente legendadas com letra Calibri 9. (Para efeitos de legendagem entende-se como sendo “figuras” todas as representações do tipo de diagramas, gráficos, fotografias, desenhos, gravuras e outras similares; e os quadros presentes serão legendados como “quadros”; no corpo do texto deverá existir referência para as imagens/quadros com a designação (fig. x) ou (quadro x),
  • As legendas das imagens e figuras deverão conter informação sobre o autor da imagem, data, fonte ou local onde se encontra etc;
  • As imagens serão em preto e branco, em formato .jpeg ou .tiff e com resolução mínima de 300 dpi;
  • As notas e referências bibliográficas das citações deverão ser inseridas no final do texto em Calibri 9.
  • As referências bibliográficas das citações constantes no texto deverão registrar o sobrenome do AUTOR, data e página (s).
  • O currículo do autor (es), com no máximo 5 linhas, deverá ser colocado na primeira página.
  • Cada trabalho só poderá ter no máximo três autores (incluídos um autor e dois coautores).
  • Cada autor e cada coautor participarão com apenas um trabalho.
  • Os artigos que não estiverem nesse formato não serão avaliados.

Avaliação dos trabalhos

Os trabalhos serão avaliados pela Comissão Científica, a qual será composta por professores e pesquisadores-doutores de faculdades de arquitetura e urbanismo de língua portuguesa e de língua espanhola. Para tanto, será utilizada a chamada “avaliação cega” (peer review) com a aplicação dos critérios constantes em fichas e definidos pela Comissão Organizadora. No processo de avaliação, quando for o caso, os autores poderão rever os trabalhos tendo em conta as sugestões que lhes foram comunicadas, após o que esses trabalhos revistos serão reavaliados para a aprovação final.

Inscrições

Valores

  • R$ 200,00 (duzentos reais) Participante profissional
  • R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) Participante docente e estudante de pós-graduação
  • R$ 70,00 (setenta reais) Participante estudante de graduação

As inscrições serão realizadas até 30 de agosto de 2021.

Cada autor e cada coautor efetuará individualmente o pagamento das respectivas inscrições.